Artacho Jurado, arquiteto?

UMA ARQUITETURA NA CONTRAMÃO

O vocabulário formal da arquitetura moderna, particularmente da que foi produzida na cidade de São Paulo entre os anos 1950 e 1960, partia de premissas racionalistas muito eloquentes. Engendrando uma espécie de ética antidecorativa – herança da radicalidade do ideário modernista – constituía uma estética de geometrias puras, expressas pela ênfase nas soluções estruturais e no uso despojado dos materiais. Os elementos supérfluos eram, portanto, evitados tanto na forma quanto nos revestimentos. 

No contexto de intensa verticalização das áreas centrais da cidade nesse período – quando o mercado imobiliário buscou seduzir a classe média com apartamentos espaçosos em edifícios glamorosos e requintados – surgem os empreendimentos de grande sucesso comercial projetados por um arquiteto autodidata: João Artacho Jurado. Suas construções, que exibiam uma interpretação peculiar do repertório estético moderno, eram marcadas pelo exagero de recursos formais e pela abundância de elementos ornamentais e de acabamentos. Colidindo com os preceitos defendidos pelos arquitetos engajados na cultura moderna, os projetos de Jurado eram considerados aberrações, sendo por eles objeto de severa depreciação.

No entanto, a singularidade pitoresca e extravagante do trabalho de Artacho Jurado, ao contrário de ser vista como antítese do bom gosto, encontrou ampla aceitação pública e tornou-se, com o tempo, valorizada na identidade da paisagem urbana paulistana.

Pode-se mesmo dizer que esse formalismo, avesso à arquitetura “erudita”, antecipou a crítica do dogmatismo moderno presente na produção arquitetônica nos anos 1980, em que o racionalismo deu lugar a experiências inspiradas na linguagem vernacular e historicista. 

A exposição “Artacho Jurado, arquiteto?” traz ao público um balanço dessa significativa contribuição, mostrando sua importância na história da arquitetura de nossa cidade.

Marcos Cartum

Diretor
Departamento dos Museus Municipais
Museu da Cidade de São Paulo

©Vic Von Poser, 2021

Artacho Jurado, arquiteto?
Curadoria: Abílio Guerra

Chácara Lane | Museu da Cidade de São Paulo
R. da Consolação, 1024 – Consolação – São Paulo – SP (próximo à estação Mackenzie do metrô)

02 de outubro de 2021 a 24 de abril de 2022
Terça a sexta, das 10h às 16h.
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h.
Entrada gratuita, sem necessidade de agendamento ou retirada de ingresso.
Serviço educativo disponível.

  
Intérprete em libras disponível, com agendamento prévio a partir do e-mail: educativomuseudacidade@gmail.com

©Vic Von Poser, 2021